Muriel: o amor impossível de Mister Grant

Quando o jovem James Alexandre Grant desembarcou no Brasil em 1908, tinha um único propósito em mente: contrair uma doença tropical e morrer. Desiludido por um amor não correspondido, “mister Grant”, como se tornaria conhecido mais tarde, não teve coragem de cometer o suicídio, ao contrário, arrumou as malas e partiu para sempre.

Das “Antilhas Britânicas” sua terra natal só restaram as lembranças. Sobre a mulher que despedaçou o coração do inglês sabemos apenas sussurrar o seu nome; Muriel! O trabalho de cozinheiro no Rio de Janeiro e como representante comercial da companhia petrolífera “standart Oil” no sul do país, posteriormente, o ajudaram a amenizar as amarguras do passado.

Em Joinville apaixonou-se duplamente, pelos encantos da cidade e pela jovem Augusta Burgine Carolina Sofia Adele, filha de um dos mais destacados colonizadores da região.

Em 1911 casaram-se James Alexandre e Adele Richlín, confirmando ele a sua condição de respeitável cidadão Joinvillense. Em meados da década de 30 o destino o levou ao litoral, quando descobriu os encantos de Itajuba. A beleza inigualável do lugar revitalizou em Mister Grant o imaginário quase esquecido das Antilhas Britânicas, o que o influenciou na construção de um hotel, que se tornaria, mais tarde, um dos mais bem estruturado da região norte catarinense. Além de orquidário, câmara fria e gerador próprio de energia elétrica, o restaurante que era uma das principais dependências do complexo, também funcionava como cassino. O hotel viveu o seu esplendor e glamour na década de 40, quando vários casais enamorados com reservas antecipadas, passavam ali a sua "lua de mel".

Aos poucos a praia das “Canasvieira” que anos depois seria rebatizada de “Praia do Grant”, passou a ser a referência da elite Joinvillense, que buscava nas suas águas calmas e cristalinas, um espaço de socialização e lazer. Segundo alguns remanescentes da família, Mister Grant teria prometido “um jogo de chá da mais fina porcelana chinesa”, objetos de grande valor pessoal, ao filho que colocasse o nome de “Muriel” na primeira neta, desejo que se concretizou quando nasceu a pequena Muriel Heloísa, filha de Mabel Agnes Grant Martins. Mister Grant faleceu em 1954.

Nota do Autor- Quem foi mister Grant? Um espião a serviço da inteligência britânica durante a segunda guerra mundial? Um visionário que construiu na praia das “Canasvieira” um empreendimento hoteleiro Ou simplesmente um homem que viveu intensamente e que nunca conseguiu esquecer aquela que teria sido o grande amor de sua vida? A biografia do inglês sempre alimentou o imaginário dos barra-velhenses . Segundo alguns remanescentes da família, James Alexander Grant veio para o Brasil por conta de uma grande desilusão amorosa. Parte dos relatos foi elaborada a partir de informações fornecidas por Marcos Rafael Santos Machado e da sua sogra Laura Doller Wille (neta de mister Grant). Muriel Heloisa (outra neta) tem hoje 57 anos e vive em Curitiba.


 © Copyright 2005 - 2020  redebv.com