Inovação: morador de Barra Velha cria roda geradora de energia sustentável


Preocupado com o futuro do planeta e proposto a criar medidas para a preservação da água, Antônio Campesi, 70 anos, criou em seu próprio quintal uma “roda geradora de energia”, assim batizada por ele, capaz de produzir até 2 quilowatts por hora. O aposentado, que não concluiu o Ensino Médio, é especialista em geração de energia elétrica, trabalhou por mais de 20 anos na Companhia Energética do Estado de São Paulo (CESP), atuando na construção de grandes hidrelétricas.

O inventor conta que a ideia surgiu por sua afinidade com o ramo de geração de energia e, após se aposentar, sobrou tempo para se dedicar a algo novo. Antônio levou quase um ano para concluir a invenção e gastou cerca de 10 mil reais. Ele se orgulha ao dizer que construiu tudo manualmente. "Desde a solda até os compartimentos, todos os detalhes foram feitos por mim. Passei um ano trabalhando no quintal de casa para chegar neste resultado", revela.

Funcionamento

O equipamento foi instalado na forma horizontal, diferente das hidrelétricas comuns que atuam na vertical. De acordo com Antônio, a posição de funcionamento da roda é o grande diferencial da invenção. “Nessa direção a vazão de água é mínima, desta forma o fluido pode ser reutilizado várias vezes”, explica.

O sistema possui 6 metros de diâmetro, 36 compartimentos e 529 quilos. Para que funcione, precisa de 16 recipientes cheios de água, levando em conta que cada recipiente comporta 41 litros. O peso da água em alguns dos recipientes impulsiona a roda, fazendo a rotação em torno do eixo. A energia gerada é captada por um gerador e direcionada à residência. Antônio explica que o potencial do sistema está na dimensão, quantidade de recipiente e capacidade de carga. “Neste sistema, quanto maior a queda, melhor é o funcionamento. Projetei a roda para dar uma volta por minuto, se girar mais vezes a economia será menor”, garante o inventor.

Economia e sustentabilidade

Segundo os estudos realizados por Antônio Campesi, se a roda trabalhar durante um mês, poderá gerar energia para abastecer toda sua residência. "O objetivo desse projeto é preservar a água, um recurso natural escasso, não podemos esperar que ela acabe para controlar o desperdício", alerta.

Além de preservar a água, o projeto proposto por Antônio permite economia no orçamento familiar, já que reduz gastos com energia elétrica no final do mês. Vale lembrar que o sistema pode funcionar com água da chuva. Para o primeiro experimento, Antônio ligou um cano à calha e utilizou este método. Nesse caso, as duas bombas instaladas no eixo da roda impulsionam a água, de modo que retornem ao compartimento e continuem no sentido rotativo. Pela pouca vazão, apenas a água vaporizada é perdida, o restante retorna ao recipiente e o ciclo é reiniciado.

Avanços

De acordo com o inventor, o sistema gerou interesse em algumas pessoas. Ele conta que três rodas com 22 diâmetros cada devem ser instaladas em uma chácara no município de Schroeder. Elas vão funcionar simultaneamente com 76 recipientes abastecidos, de modo que a capacidade de geração de energia e economia sejam ainda maiores.

Antônio Campesi já é veterano no ramo de inovações. Ele já inventou um sistema de captação e reaproveitamento de água da chuva e um dispositivo auxiliar de frenagem para caminhão. Com a mais nova criação, Antônio pretende contribuir para a preservação do planeta e sonha alto. “Sinto-me útil em contribuir com o meio ambiente, vou continuar trabalhando no meu projeto e aperfeiçoá-lo para que todos tenham acesso a esta ferramenta”, orgulha-se.

O projeto está instalado na residência de Antônio, no município de Barra Velha, litoral norte de Santa Catarina. O inventor aguarda a chegada de um gerador de maior potência para novo teste.


 © Copyright 2005 - 2020  redebv.com